SMSBVC - Serviços Municipalizados de Saneamento Básico de Viana do Castelo

Águas Residuais

Caracterização do Sistema Público de Drenagem de Águas Residuais

A rede de saneamento integra a rede de colectores de águas residuais domésticas, águas residuais pluviais e unitários, interceptores, condutas elevatórias, centrais elevatórias, estações de tratamento e dispositivos de descarga final.

A Câmara Municipal deliberou em 20 de Outubro de 1971 a Municipalização dos Serviços de Saneamento que até então se limitava à limpeza de alguns colectores de águas residuais à construção dos ramais domiciliários solicitados pelos interessados. A partir desta data foram desenvolvidos, ano após ano, investimentos na ampliação da rede de drenagem de águas residuais domésticas e pluviais. A rede de drenagem de águas residuais conhece um forte incremento dos investimentos a partir de finais da década de 80, através dos investimentos proporcionados pelos fundos comunitários.

Em 31 de Maio de 1999 entrou em funcionamento o sistema de Saneamento da Orla Litoral Norte constituído pela ETAR da Cidade e oito estações elevatórias incluindo diversos quilómetros de emissários.

Em Novembro de 2001 entrou em funcionamento o sistema de saneamento da ETAR da Zona Industrial e três estações elevatórias.

Rede de esgotos, interceptores e condutas elevatórias

A rede de colectores, integra os sistemas públicos de drenagem de águas residuais domésticas, industriais e pluviais provenientes das edificações ou da via pública e têm por finalidade assegurar a sua condução a o destino final adequado.

Os interceptores têm por finalidade a recolha dos efluentes que derivam das várias redes de colectores e a sua condução até à situação de tratamento ou destino final.

As condutas elevatórias têm por finalidade a condução de esgoto sob pressão, desde a central elevatória até à caixa de visita, a partir da qual será transportado graviticamente.

Actualmente estão em operação cinco grandes Sistemas de Drenagem e Tratamento de Águas Residuais no Município – Sistema da ETAR de Areosa, Sistema da ETAR da Zona Industrial, Sistema da ETAR da Gelfa, Sistema da ETAR de Lanheses/Geraz do Lima e Sistema da ETAR de Barroselas.

Processos de Tratamento

image001As freguesias da cidade e dos aglomerados urbanas mais densos estão dotadas de ETAR’s que permitiram o tratamento das águas residuais produzidas nestas áreas.

O processos de tratamento associado à ETAR da Areosa (cidade) é do tipo lamas activadas a média carga com sistema de microtamisação e desinfecção UV antes da descarga no Oceano Atlântico.

As ETAR’s da Gelfa e Zona Industrial têm o tratamento das águas residuais de nível secundário (sistemas de lamas activadas de média carga), e após o tratamento secundário a águas residuais tratadas são sujeitas a uma etapa de afinação realizada em bacias de infiltração. Este sistema permite a descarga das águas residuais compatível com as exigências do meio receptor.

image002Os processos de tratamento inseridos nos subsistemas de saneamento de Lanheses e Barroselas, serão também de carácter biológico lamas activadas com arejamento prolongado e nível secundário (em Lanheses) e terciário (em Barroselas). Em Barroselas, o sistema de tratamento secundário é complementado com microtamisação e desinfecção UV, após a desinfecção final é realizada a ligação ao emissário.

Para os aglomerados de menor dimensão está previsto que os processos de tratamento a implementar sejam também essencialmente de natureza biológica a nível secundário tais como (Estações Biológicas Compactas, Fossas Sépticas Colectivas, Lagunagem, Leitos de Macrófitas, ...).

Qualidade dos Efluentes

image003O efluente final (após tratamento em ETAR) deverá respeitar os requisitos definidos no Decreto-Lei n.º 152/97 de 19 de Junho ou, licenças específicas de descarga, também previstas no mesmo diploma. A conformidade do efluente final e desempenho de cada ETAR é essencialmente avaliada pela obtenção de valores de concentração dos vários parâmetros, abaixo do limite definido para a descarga final e/ou em função da percentagem de remoção dos poluentes (cargas orgânicas e sólidos), conseguida nos diversos órgãos da ETAR. Qualidade das Lamas de Depuração

As lamas resultantes dos processos de tratamento desenvolvidos nas ETAR’s deverão apresentar uma qualidade adequada e compatível com o destino a dar às mesmas (aterro sanitário, enterramento no solo, uso agrícola e/ ou silvícola). As lamas produzidas no Sistema de Saneamento de Águas Residuais de Viana do Castelo têm como destino final a aplicação em solos agrícolas (cultura de cereais e prado), respeitando os requisitos mínimos de qualidade, definidos no Decreto-Lei n.º 446/ 91 de 22 de Novembro e Portarias complementares (níveis de metais pesados abaixo dos VMA’s definidos na Portaria n.º 176/ 96 de 03 de Outubro).

 

Acessos Rápidos

factura electrónica

factura

tarifarios

leituras

Piquete

Piquete

 

reduza_consumo

Autenticação Funcionários

Menu principal

Subscrever Newsletter


SMSBVC - Serviços Municipalizados de Saneamento Básico de Viana do Castelo © 2009 Desenvolvido por José Costa