SMSBVC - Serviços Municipalizados de Saneamento Básico de Viana do Castelo

Higienização de Estruturas Prediais de Abastecimento de Água

I – DISPOSIÇÕES GERAIS

A estagnação da água em reservatórios prediais, independentemente da origem (rede pública ou captação particular) é susceptível de deteriorar a qualidade da mesma, em muitos casos fomentando a proliferação de microrganismos e indução de gosto e cheiro á agua. Mostra-se assim essencial, a adopção de cuidados regulares de limpeza e higienização de tais estruturas prediais de armazenamento de água, assim como das captações particulares (poços, furos, nascentes ou minas).

II – HIGIENIZAÇÃO DE DEPÓSITOS/ RESERVATÓRIOS PREDIAIS DE ÁGUA

1. Aviso da população servida pela(s) estrutura(s), da realização do Procedimento de Limpeza/Desinfecção.
2. Esvaziamento do depósito/ reservatório.
3. Remoção com escova e raspador de eventuais limos, crescimentos de musgos e outra vegetação ou sólidos aderentes às paredes do depósito/ reservatório.
4. Primeira lavagem das paredes do reservatório com água limpa.
5. Preparação de uma solução desinfectante, diluindo para o efeito 1⁄4 litro de lixívia comercial em 30 litros de água limpa (utilizar luvas, botas de borracha e roupa de protecção, na preparação e aplicação desta solução).
6. Lavar com a solução desinfectante todo o interior do reservatório, em particular, as zonas mais contaminadas (zonas manchadas e/ou escurecidas).
7. Deixar actuar entre 30 a 45 minutos.
8. Lavar abundantemente, 2 a 3 vezes, com água limpa o interior do reservatório. Se a reserva for de reduzida capacidade, cada lavagem pode ser efectuada deixando o reservatório encher com água da nascente e esvaziando-o de seguida, por abertura da torneira de descarga de fundo. Caso a rede de distribuição disponha de pontos de descarga de água (rega, lavagem, incêndio, fonte, outros), o procedimento de higienização poderá distender-se por esses segmentos de rede, sendo o efluente das lavagens, descarregado nos pontos enunciados (a execução deste trabalho, torna imprescindível a informação de todos os consumidores abastecidos nesses segmentos de tubagem).
9. Deve ter-se o cuidado de retirar do interior do reservatório eventuais aglomerados sólidos (musgos e/ou lixo), que possam entupir os segmentos de tubagem de descarga.
10. Enchimento do reservatório com água limpa e reinicio do abastecimento à população.
11. Registo num local (mapa) apropriado, da data de realização do trabalho e da data prevista para a próxima limpeza/ desinfecção do sistema, que deverá efectuar-se, preferencialmente, antes de ultrapassados os seguintes 6 meses.

III – DESINFECÇÃO DE CAPTAÇÕES DE ÁGUA DE ABASTECIMENTO HUMANO

1. Para poços com 2 metros de diâmetro, juntar 3 litros de lixívia comercial por cada metro de altura de água existente no poço (poço com 2 metros de água, leva 6 litros de lixívia).
2. Deixar o poço em repouso durante 12 horas, após o que deverá iniciar-se a bombagem de toda a água para o exterior. Não utilizar esta água para qualquer fim, seja para uso doméstico, alimentação de animais ou rega de plantas.
3. Deixar o poço encher novamente, com água renovada, após o que poderá iniciar-se o reabastecimento.
 

Acessos Rápidos

factura electrónica

factura

tarifarios

leituras

Piquete

Piquete

 

reduza_consumo

Autenticação Funcionários

Menu principal

Subscrever Newsletter


SMSBVC - Serviços Municipalizados de Saneamento Básico de Viana do Castelo © 2009 Desenvolvido por José Costa